terça-feira, 28 de setembro de 2010

O arrebol anunciou....







Por que fazer teatro numa época em que a sociedade está dominada pelos mass midea?
O cinema, o vídeo, a televisão preenchem quase que integralmente nossa “necessidade narrativa”. Contar histórias presencialmente é coisa do passado, da vovó ou então da Carochinha.
Assistir a um filme num DVD é mais fácil do que ficarmos calados e prostrados diante do contador de histórias; e ainda temos o poder de pausar a narrativa no momento que bem entender para fazer outra coisa que julgarmos mais importante.
Porque fazer teatro com crianças e adolescentes?
Teatro faz bem à alma, aumenta a auto-estima, estimula a amizade e aumenta os laços afetivos, diminui ou extingue preconceitos, promove a interatividade entre platéia e atores, é o espaço de exposição de sentimentos, enfim, o teatro é um meio de se criar realidades como nas brincadeiras infantis de “faz de conta” nas quais cada criança é aquilo que sonha ser.
Fazer teatro com crianças e adolescentes é indicar um caminho. Uma emoção.
Sábado dia 25 de setembro o grupo de teatro da EMEF Claudio Manoel da Costa apresentou , numa sessão para os pais, o espetáculo de formação O Arrebol.
Coordeno as oficinas desde abril desse ano e sei de todo o processo: dos exercícios de expressão corporal passando pelas improvisações até os ensaios de canto coral. Do muito que essas crianças e adolescentes já experimentaram - da alegria de fazer um personagem passando pelo cansaço de tantos ensaios até o nervosismo da estréia. Mas no final, quando todos em equipe curvamos e agradecemos perante o público que aplaude, ficamos, tanto eu quanto os atores mirins, com a alegria da sensação da missão cumprida e de que vale a pena.
Porém foi só uma sensação. É só o começo de uma trajetória de busca pela expressividade singular e coletiva.
Que venham novos encontros em oficinas, novos exercícios, novos desafios, novas realizações.

Fizeram uma pergunta para Brecht, um famoso dramaturgo alemão: O senhor acha que o teatro pode transformar o mundo?
Ele respondeu: Não. O teatro pode transformar o homem e o homem pode transformar o mundo.

Eu acredito que o mundo do homem que se envolve com qualquer tipo de arte se transforma. Isso é humanização.

Obrigada a todas as pessoas : alunos, alunas (atores ou operador de som e luz) mães, pais, avós, professoras, professores, coordenador pedagógico, enfim, todos que de alguma forma contribuíram para a realização desse dia especial.

Prof. Ana Toséti

3 comentários:

Para além do cuidar Educação Infantil de 0 a 5 anos disse...

Não encontrei no dicionário uma palavra que pudesse expressar o que senti ao ver o espetáculo.
Lindo!

Como diria nosso amigo Marcelino Freire ..."você é uma dessas rars figuras que nos salvam a flor da pele"

Parabéns

Elizabete Baptista de Godoy disse...

Querida Ana,

parabéns pelo belo trabalho. Educador comprometido com a humanização faz toda diferença na trajetória de vida de um jovem.
A arte humaniza, desvela a nossa essência, nos ensina a ser sensivel a vida, ao mundo e as pessoas.

Um enorme abraço

Bete

Carlos Angelo disse...

O teatro pode tirar estas crianças do anonimato. Pode transformá-las em cidadãos! Criar uma personalidade com vida própria. E isso ninguém consegue fazer melhor e com mais eficiência que o teatro. E a cada novo grupo de teatro nasce também uma nova esperança. Tudo que se aprende no teatro é para sempre. Professores que escolhem o teatro como ferramenta para concretizar seu trabalho didático deveriam ser reverenciados por seus superiores, colegas, pais e principalmente pelos alunos. Conheço a professora Ana Tosetí e sou admirador de seu trabalho. Um exemplo profissional digno de ser adotado por todos aqueles que buscam eficiência no processo de educação. Parabéns aos alunos que participam voluntariamente do teatro. Serão adultos diferenciados em qualquer carreira profissional.
Carlos Angelo